Avina
Mensaje del Presidente

Na AVINA, somos unidos pelo desejo de contribuir para mudanças concretas, que sejam relevantes para superar os desafios enfrentados pela América Latina. Por essa razão, em 2009, reorganizamos nosso modelo operacional para incorporar as lições aprendidas em anos anteriores e, assim, aperfeiçoar nosso trabalho. Em 2010, conseguimos colocar à prova nossa nova forma de operação em toda a instituição e na América Latina. E, embora seja sempre possível melhorar ainda mais, estamos bastante satisfeitos com o plano de voo que adotamos, e o avião está chegando à sua altitude de cruzeiro.

 

Os resultados de 2010 nos mostram algumas evidências de que estamos no caminho certo. Inicialmente, conseguimos participar, juntamente com nossos parceiros, da geração de mais mudanças positivas do que no ano anterior nos países onde atuamos (como pode ser constatado no desempenho institucional). A AVINA possui um sistema de registro de mudanças concretas para as quais contribui o que chamamos de “gestão de realizações”. Esse simples instrumento permite-nos avaliar se estamos sendo eficientes no cumprimento de nossa missão. Em 2010, constatamos um aumento de quase 63% no número de mudanças registradas em comparação a 2009. O mais interessante, entretanto, é que superamos muito nossa meta em termos de avanços em processos capazes de gerar mudanças concretas em um prazo de dois ou três anos. Isso significa que, além de um aumento no número de realizações, há um forte investimento nos processos que devem dar frutos em médio prazo.

 

Outro resultado que nos anima é um crescimento no volume de recursos financeiros que a AVINA conseguiu mobilizar em benefício de seus parceiros e causas que apoiamos. Apesar da instabilidade financeira que o mundo viveu nos últimos anos, a AVINA não só conseguiu manter seu nível de investimento social na América Latina, como também trabalhou ativamente com outras instituições para direcionar mais recursos para a região. Dessa forma, em 2010 participamos ativamente da mobilização para obter 24 milhões de dólares em recursos para beneficiar nossos parceiros. Esses recursos obtidos são fundamentais para as causas que apoiamos, fortalecendo a coordenação de ações, o compromisso entre várias instituições e a visibilidade global de nossos parceiros. Somados aos recursos que a AVINA investiu diretamente, um total de 37 milhões de dólares foi direcionado aos nossos parceiros do continente em 2010.

 

Além disso, a AVINA comprovou que sua forma de operar lhe permite ser mais eficiente, ou seja, é possível fazer mais com menos. Conseguimos diminuir nossos custos operacionais (administrativos e de programas) em 2,2 milhão de dólares entre 2009 e 2010, sem reduzir nossa cobertura geográfica na América Latina, nem nossos altos padrões de qualidade administrativa e prestação de contas. Conseguimos também reduzir proporcionalmente a administração, o que significa que nossa equipe de programas pode agora dedicar mais tempo às causas e aos parceiros que apoiamos. Consequentemente, pudemos direcionar mais recursos às áreas de inovação e a oportunidades não previstas que surgiram durante o ano. Dessa forma, a busca constante por mais eficiência, liderada especialmente por nossa competente equipe administrativa, gera de forma muito tangível mais possibilidades de impacto social em longo prazo.

 

Apesar dos grandes avanços no desenvolvimento de novas estruturas e políticas para acompanhar as mudanças internas dos últimos anos, ainda precisamos reformular muitos sistemas internos de gestão dos quais depende nosso trabalho. Também foi necessário revisar e ajustar alguns conceitos e estruturas que se implantaram, em princípio, como parte de nossa reformulação. Ainda temos uma dívida de qualificação com nossa excelente equipe, que foi impecável em sua flexibilidade e compromisso durante a transação . Em muitos casos, suas novas funções e tarefas demandam novas habilidades e conhecimentos, que por sua vez exigem um investimento institucional e de cada colaborador na aquisição de novas competências. Por fim, foi necessário começar a refletir como instituição sobre os custos de oportunidade em que fazer algo importante implica não poder fazer outra coisa também importante. Existem limites e temos que escolher nossas oportunidades com critérios de análise cada vez mais precisos. A questão da capacidade de carga passa a ser um tema sempre presente em nossas decisões estratégicas.

 

Ao mesmo tempo, não deixa de ser um luxo ter esse tipo de problema, pois evidencia nosso crescimento e o salto de desempenho que acabamos de realizar. O mais importante talvez seja o que nós não mudamos. Em meio a tantas modificações, nós nos esforçamos para consolidar nossos princípios de sempre, que devem continuar sendo nosso norte. O compromisso que temos com nossos parceiros, com os quais trabalhamos de uma forma cada vez mais próxima, não mudou. Continuam sendo fundamentais a formulação contínua de parcerias e a participação de vários atores nos processos de mudança para os quais contribuímos. Temos consciência muito clara de que o impacto em escala significativa é impossível sem a multiplicação de esforços, onde cada um contribui com seus pontos fortes. Nas redes e parcerias em torno da mudança, reconhecemos sempre a importância da liderança, especialmente a liderança focada na mudança, e não no ego, a liderança que sabe cultivar outros líderes e permitir que outros liderem quando for apropriado. Nossa aposta continua centrada na construção de capital social e em relações de confiança como ingrediente vital para a criação de agendas comuns com potencial de impacto.

 

Na AVINA, compartilhamos a sensação de que é um privilégio e ao mesmo tempo uma responsabilidade da nossa geração enfrentar os desafios atuais e buscar formar juntos, por meio do diálogo e da criatividade, novos modelos mais sustentáveis. Os exemplos de avanços reais que vimos em 2010, alguns dos quais estão descritos neste Relatório Anual, nos animam a continuar otimistas sobre nosso papel com uma boa dose de realismo e modéstia. À equipe da AVINA, aos nossos parceiros de causa e às partes interessadas que nos sustentam, quero agradecer por tornarem possíveis os sucessos e aprendizados de 2010, que nos deixam mais bem preparados para os desafios que se aproximam em 2011 e nos anos seguintes.

 

Sean McKaughan
Diretor Executivo